Arquivo de Design | G3Tech

Category:Design

Diga adeus ao Blob, os novos Emojis do Google chegaram!

O emoji “blob” apareceu pela primeira vez em 2013 com a sua forma amorfa de um pedaço de “massa” deixado cair sobre uma bancada. As suas faces, um leque colorido de emoções, tinham bocas e expressões incertas e agradáveis que nem sempre se encontravam directamente no ângulo de visão de quem os via. Eram divertidos, diferentes e adoráveis.

Durante anos os emoji “blob” fizeram parte dos teclados de todos os telefones Android competindo com os emojis por muitos considerados como os “perfeitos”: circulares e de face frontal da Apple. Mas agora o debate entre qual o melhor vai acabar pois com o update Oreo do Android a Google substituiu o “blob” por emojis mais simétricos e “perfeitos”, mais próximos à figura humana.
 

A evolução dos Emojis

 
Quando a Google desenhou os “blob”’s há quase meia década atrás, o panorama dos emojis já era fertil em figuras perfeitamente redondas, como podemos ver no IOS, fazendo com os emojis do Android fossem deliciosamente diferentes.

“Eu tinha um nome de código Japonês para eles: ponyon diz Satoe Haile, designer na Google, que, em conjunto a firma sub-contratada IC4, ajudou a conceitualizar o blob. Ponyon traduz-se para algo como “o som de algo a saltitar” o que efectivamente descreve com exactidão o look desta forma não humana adoptada pelos “blob”s da Google. “Queríamos criar algo engraçado, fofinho.” diz Haile.

Na altura, esta abordagem fazia sentido. Afinal, estávamos em 213 e não existia tanta variedade de emojis como existe hoje. Se pensarmos bem, ainda faltava um ano para que aparecessem no relatório económico oficial da Casa Branca e dois anos antes de ? passar a ser a palavra do ano do dicionário de Oxford.

No entanto, pouco após o aparecimento dos “blob”s a forma como as pessoas usavam os emojis começou a mudar “ Começamos a reparar que os emojis não eram mais apenas coisas fofinhas, que qualquer pessoa podia ir online e criar o seu” diz Gus Fonts, gerente de produto para a Android “mas estavam sim a tornar-se uma ferramenta essencial de comunicação”.

A popularização da utilização dos emojis levantou questões relacionadas com a compatibilidade dos mesmos. Afinal, os “blob”s eram característicos dos dispositivos Android e a sua tradução para outras plataformas nem sempre era fiel.  Não existia garantia que o emoji enviado do telefone X fosse igual ao recebido no telefone Y. O mesmo aplicava-se entre Android e IOS em que muitas vezes o envio de um ? resultava num coração cor-de-rosa. Algo tinha de mudar.

 

 

Por esse motivo os designers na Google começaram a alterar e editar o emoji “blob” discretamente, começando por tornar as suas expressões mais claras e definidas, a sua face mais frontal e a sua forma menos irregular, como é possível ver na imagem acima. Em 2015 deu-se a unificação definitiva do “blob” ao mesmo tempo que o Unicode começou a pressionar a existência de mais realismo e representação nos emojis através do sexo, tom de pele, etc.

Uma vez que a cor dos “blob”s e da maioria dos emojis era propositadamente amarela devido à sua neutralidade, nos “blob” a aplicação de outros tons não resultava tão bem na opinião dos designers da Google. No entanto, esta não poderia ser justificação para que a Google não seguisse as tendências e também ela conferisse alguma individualidade e realismo na representação dos seus emojis. Foi em 2016 que a Google introduziu as suas primeiras figuras “humanóides” com opção de seleção do tom de pele.

Infelizmente o convívio entre estas formas humanas e os “blob”s voltaram a criar discórdia entre os designers o que levou a empresa a re-considerar o seu conjunto de emojis mais uma vez criando o novo conjunto que agora introduz.

 

 

Mas como acontece nas grandes empresas, mudanças profundas como estas acontecem faseada e lentamente pois antes de se chegar a um consenso entre todas as partes envolvidas foram necessários quase dois anos de reuniões, apresentação e designs e revisões. “Em nenhum momento foi dito que os blobs teria de sair de circulação” relembra Fonts, a sua substituição foi uma necessidade que veio do avanço do tempo.

Quem sabe se para o ano não são introduzidos novos emojis, com tons de pele e formas completamente diferentes das que temos agora?GuardarGuardarGuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Criar um Logótipo nem sempre é fácil

Abrir uma empresa vai muito além de somente abrir as portas do seu negocio ou colocá-lo online.

Criar um logotipo não é uma tarefa fácil. Uma ideia na cabeça e um rascunho na mão, nem sempre são suficientes.

Para que o seu conceito seja realmente adequado, é necessário estudar o mercado em que se vai inserir de forma a saber como se diferenciar e de que forma a diferenciação deve começar no seu logotipo.

Copiar ideias de outros logotipos é algo a evitar pois além de retirar credibilidade, também lhe trazer problemas com a lei. Inspire-se em algo que goste, mas mantenha-se longe do plagio. O objetivo é ter uma identidade própria que represente a criatividade da sua empresa, e a sua.

Continue a ler

Pantone® Humano

O projecto Humanæ é um “trabalho em desenvolvimento” pela brasileira Angélia Das, que tenciona criar uma paleta cromática com os diferentes tons de pele. Os modelos para este projecto são voluntários que tiveram conhecimento do mesmo e decidiram participar. Não existe pré-selecção de quem participa e não existe nenhum tipo de classificação/organização por nacionalidade, idade, sexo, raça, classe, etc.

Continue a ler

Starbucks e Pantone

Após o anúncio oficial das cores Pantone para a Primavera de 2017, algumas das quais já podemos ver nas passarelas, o Starbucks decidiu juntar-se à tendência e experimentar uma aplicação sua também!

A 16 de Março, o Starbucks lançou uma linha de copos de café em tons pastel com design minimalista – exclusiva para EUA e Canadá – sem o seu famoso logotipo, mas com um circulo branco no qual você, ou o seu barista, podem fazer desenhos engraçados para alegrar o seu dia.

Continue a ler

Passos para a criação de uma marca

Neste artigo iremos falar dos passos essênciais para a criação de uma marca, sem complicações.
 
Marca é um nome, um sinal/logo ou a combinação de ambos cujo objetivo é identificar bens e serviços que a empresa presta e diferenciá-los dos concorrentes.
 
Qualquer empresa, necessita de reunir alguns elementos fundamentais para que a sua marca seja reconhecida, conquiste o mercado e os clientes. Continue a ler

Como era o Design Gráfico antes dos computadores?

A evolução da industria do Design Gráfico de 1950 a 1990 foi monumental. A introdução do computador pessoal revolucionou os quadros de apresentação nos estúdios para PDFs em portáteis.

Uma equipa de Designers Americanos e realizadores estão neste momento na pós-produção de um documentário sobre o Design Gráfico intitulado “Graphic Means” (Métodos Gráficos, Uma história da Produção do Design Gráfico) que irá explorar a evolução desta industria.

Continue a ler

Share:
Profiles: