“Enquanto pode haver água em Marte, não acreditem em tudo o que lêem na Internet hoje em dia.”

Aviso de privacidade que anda a circular no Facebook é falso. 

Uma mensagem viral anda a apelar à publicação de post para impedir a violação de privacidade.

Certamente já viu dezenas de publicações iguais, no Feed do seu perfil de Facebook, de algum familiar, amigo com a seguinte mensagem:

AVISO:
Na sequência da nova lei promulgada sobre a fiscalização das redes sociais, é aconselhado a publicar o seguinte:
A violação da privacidade pode ser punida com a lei (Ucc 1-308-1 1 308-103 e o estatuto de Roma).
O facebook agora é uma entidade pública. Todos os membros devem publicar uma nota como esta. Se não publicar uma declaração pelo menos uma vez, será tacitamente entendido
que autoriza o uso das suas fotos, bem como as informações contidas nas suas actualizações do perfil.
Eu declaro que não dou, não dei e não darei a minha permissão.

São inúmeros os utilizadores que nos últimos dias tem partilhado este alerta de privacidade, nos seus perfis. A mensagem corrente encontra-se a ser partilhada no Facebook em grande escala.

Mas será verdade? Será que Mark Zuckerberg, vai ver todos os perfis a ver quem fez um post com esta mensagem? Vamos pagar para ter Facebook? Com diferentes planos de utilização?

E se é daqueles que faz 10/20 publicações por dia será que “os senhores do Facebook”, vão ver o seu perfil de forma a autenticar e confirmar que “não autoriza o uso das suas fotos, bem como todas as informações contidas no seu perfil”? Mesmo que isso implique estar a fazer scroll para ver quando publicou? Existe um programa que vai correr o seu perfil a ver se encontra a tal mensagem?

A mensagem alerta os utilizadores que, caso não copiem a mesma para os seu perfil pessoal, poderão ver as suas fotos, assim com os seu conteúdo dentro da página tornarem-se de utilização  publica.

Pois bem, trata-se de um FALSO alerta de privacidade, que se faz passar pelo Facebook. Este tipo de publicação e “alarmismo” já não é novidade na famosa rede Facebook, de Mark Zuckerberg.

Existem algumas versões da mesma mensagem em inglês e noutras línguas e estas são muito semelhantes a outras que surgiram em 2012. Em 2015, o Facebook, quando surgia mais uma onda de “alertas” semelhantes, desmentia de um modo mais informal e com jeito de “piada” o mesmo tipo de alerta, admitindo que o Facebook “é gratuito e vai sê-lo sempre.”

Na versão em inglês, nessa mesma altura era pedido o pagamento de 5,99 dólares para que o perfil do utilizador seja mantido privado. Ainda não foi identificado a origem deste tipo de mensagem nem o motivo do mesmo.

Contudo, apesar da maioria ter consciência que este tipo de mensagem é falso, é importante ter em conta possíveis esquemas que possam advir. Em nenhum momento deve aceder a link para sites externos nem que peçam acessos à sua conta ou exigem pagamentos para “garantir a privacidade da sua conta”

O post que está a ser publicado por vários utilizadores não protege ninguém da violação da sua privacidade. Quando se cria um perfil no Facebook é necessário concordar com os Termos de Serviço da rede social, que inclui a sua própria política de privacidade.

Assim como as páginas de Facebook tem um visto cinzento, como forma de informar as pessoas de que a página é realmente de um negócio ou organização, poderia ser interessante ter um visto em cada perfil a informar os restantes utilizadores que este perfil não deu permissão para que as suas fotos e conteúdo fosse usado como fins públicos. Caso esse assunto de privacidade fosse mesmo verdadeiro. Fica aqui uma sugestão gratuita para os “senhores do Facebook”